As preocupações de intervenção social, bem patentes no objetivo que orientou a criação desta IPSS - disponibilizar uma resposta concertada às problemáticas familiares - aliam-se, desde a sua génese, a um trabalho em parceria com as diversas instituições e entidades locais e nacionais.

A experiência no serviço de atendimento diário do GAF e a análise das necessidades sociais do Distrito foram permitindo a constatação de graves carências ao nível das desigualdades sociais em vários segmentos da população. No intuito de responder a estas carências, o GAF foi estruturando a sua intervenção por forma a proporcionar respostas aos problemas associados e geradores de exclusão social (como toxicodependência e/ou alcoolismo, seropositividade, delinquência, ex-reclusão, sem abrigo, imigração, desemprego e/ou emprego precário, carência sócio-económica, disfuncionalidade familiar e/ou rutura sócio-familiar, violência doméstica, crianças em risco, entre outros).

O GAF adota, assim, uma estratégia de intervenção multidisciplinar, individualizada e multidimensional, pautando a sua ação/intervenção de modo a contribuir para a [re]inserção social e consequentemente a melhoria da qualidade de vida de grupos socialmente e/ou economicamente desfavorecidos, numa tentativa de contrariar e minimizar o impacto de fatores geradores de exclusão, promovendo a igualdade de oportunidades. Disponibiliza, por isso, essencialmente serviços gratuitos (desde o atendimento/acompanhamento ao acolhimento institucional), uma vez que os indivíduos/famílias acompanhados se encontram em situação de extrema carência económica.

A aposta do GAF tem sido focalizada na qualificação técnica e na adoção de metodologias de intervenção mais rigorosas, controladas e intencionalizadas. Pela acção concertada de distintas modalidades de intervenção, o GAF procura criar condições para a realização de um balanço pessoal e familiar conducente à co-construção de projectos de vida baseados em premissas diferenciadas. Procura-se, assim, uma definição de novos objectivos de vida (realistas, exequíveis, concretos e delimitados no tempo), promovendo uma atitude crítica, a auto-estima e o sentido de competência pessoal, o empowerment, o reconhecimento e desenvolvimento de competências pessoais, relacionais e profissionais, evidenciando as forças e competências individuais e familiares.

Apoio Comunitário

Tem como população-alvo famílias/indivíduos em situação de carência económica, proporcionando serviços técnicos (consulta psicológica, apoio social e jurídico) e assegurando, sempre que necessário, a distribuição de géneros alimentares, roupas e mobiliário.

[Continuar a ler]

Comunidade de Inserção

Com capacidade para 12 utentes em regime de alojamento e 18 em regime diurno, destina-se essencialmente a população sem-abrigo e proporciona serviços de alojamento e refeição para além de um conjunto de actividades enquadradas em diferentes modalidades de intervenção.

[Continuar a ler]

Protocolo RSI

Tem como população-alvo famílias/indivíduos beneficiários da medida de Rendimento Social de Inserção, promovendo um acompanhamento sistemático e multidisciplinar junto dos mesmos.

[Continuar a ler]

Casa Abrigo

Destinada a mulheres vítimas de violência doméstica e seus filhos, constitui uma resposta de acolhimento temporário para situações de risco e garante as condições básicas de vida às pessoas acolhidas (alojamento, refeição, higiene, saúde) num ambiente de tranquilidade e segurança, favorável à co-construção de novos projetos de vida.

[Continuar a ler]

Núcleo de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica

Destina-se a pessoas vítimas de violência doméstica e disponibiliza acompanhamento social, jurídico e consulta psicológica, assegurando ainda, sempre que necessário, a distribuição de géneros alimentares, roupas e mobiliário.

[Continuar a ler]

Centro de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental

Serviço diferenciado que procura complementar a intervenção dos serviços existentes de apoio à família, através de uma intervenção (multi)sistémica, intensiva e desenvolvida em contextos reais que visa a promoção do fortalecimento das famílias e a prevenção de problemas de adaptação física, psicológica e social das crianças e jovens.

[Continuar a ler]

Centro de Atendimento Psicossocial VIH/SIDA

O que é?

O Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) do GAF foi criado com o intuito de apoiar pessoas infetadas, afetadas e/ou preocupadas com a problemática do VIH/Sida.

É membro efetivo do Fórum Nacional da Sociedade Civil para o VIH/SIDA que foi constituído como uma estrutura consultiva da agora Direcção do Programa Nacional para a Infeção VIH/Sida, que estuda, avalia e apresenta propostas sobre as políticas e decisões governamentais na área do VIH/SIDA, sendo reconhecido como um instrumento de diálogo direcionado para dar voz às pessoas afetadas e infetadas pelo VIH a nível nacional. Neste sentido este serviço tem responsabilidade ao nível do rastreio comunitário da infeção por VIH e outras IST e no combate ao estigma e à discriminação relacionados com esta doença crónica no distrito de Viana do Castelo.

Objetivos

Promover o desenvolvimento positivo de pessoas infetadas, afetadas e/ou preocupadas com a problemática do VIH/Sida.

Objectivos específicos

• Promover a educação para a saúde, a adoção de comportamentos saudáveis e de auto-cuidado;

• Diminuir o impacto do diagnóstico de seropositividade/SIDA no indivíduo/família;

• Apoiar e orientar a construção de um projeto de vida alternativo, baseado em papéis, rotinas e regras familiares mais eficazes;

• Promover o desenvolvimento de competências pessoais, profissionais e sociais;

• Disponibilizar um espaço de informação e distribuição de materiais relativos ao VIH/SIDA;

• Apoiar em situações residuais indivíduos/ famílias que necessitem de assistência ao nível de balneário, lavandaria, refeitório, géneros alimentares/roupa e mobiliário;

• Desenvolver ações de formação dirigidas aos corpos dirigentes/colaboradores técnicos e não técnicos de entidades locais;

• Colaborar com as instituições de educação, saúde ou outra que solicite a intervenção do CAPS no âmbito da educação para a saúde e prevenção VIH;

• Lutar pela defesa dos direitos das pessoas que vivem com VIH e Sida;

• Promover a deteção precoce da infeção por VIH e hepatites em meio comunitário.

Intervenção

Tendo em vista a consecução dos objetivos definidos, o CAPS disponibiliza:

• Acompanhamento Psicológico

• Apoio Social

• Apoio Jurídico

• Apoio Logístico em situações de carência financeira

• Formação

• Promoção da Saúde e da reinserção social

• Prevenção da infeção pelo VIH junto da comunidade

• Testes rápidos ao VIH e hepatites em meio comunitários, gratuitos e confidenciais

O CAPS, anualmente, sinaliza:

Dia Mundial de Luta Contra a Sida (1 dezembro) através de ações que visam sensibilizar a comunidade para a adoção de hábitos de vida e comportamentos sexuais saudáveis, bem como para a deteção precoce do VIH.

Semana Europeia de deteção precoce do VIH e hepatites (última de novembro) – efetua rastreio comunitário, confidencial e gratuito, em colaboração com equipa de rua Projeto Adições

Dia Mundial da Saúde Sexual (4 setembro) – dinamiza um concurso de fotografia intitulado “Diretamente do Coração. Your love, Your life” conjugado com uma ação de sensibilização em parceria com unidades hoteleiras do distrito.

Dia Mundial das Hepatites (28 julho) – realiza rastreio comunitário, confidencial e gratuito, em colaboração com equipa de rua Projeto Adições

Dia 17 dezembro – Sinalização do Dia pelo Fim da Violência contra os Trabalhadores do Sexo

Projeto que está a desenvolver atualmente:

Ação de Formação A Infeção por VIH e a SIDA: A vida ganha outro sentido
Dirigida a técnicos e não técnicos de instituições do distrito com o intuito de fomentar a co-responsabilização destas com a promoção saúde, com a reinserção social e com a prestação de serviços às pessoas infetadas pelo VIH residentes no distrito, contribuindo para a minimização do sentimento de discriminação e estigma

Projeto Para além das grades: Promoção da saúde no estabelecimento prisional de Viana do Castelo
Visa promover a saúde em contexto prisional contribuindo para minimizar a incidência negativa do VIH/SIDA, outras IST e tuberculose, bem como o incremento do bem estar biopsicossocial na população reclusa e dos guardas prisionais no EP de Viana do Castelo.

Projeto Algodão Doce
Educação para os afetos e sexualidade no pré-escolar, envolvendo educadores de infância, pais e crianças de 4-5 anos. Mais informações em www.gaf.pt/projetos/algodaodoce

Projeto Vozes
Agrupamento Escolas Frei Bartolomeu dos Mártires em parceria com o CAPS VIH/SIDA, a UAT e o NAVVD irá desenvolver o projeto dirigido às turmas do 7º ano de escolaridade e que se prolongará por três anos consecutivos, tendo por objetivo primordial a educação para a saúde através da arte em contexto escolar

• Rede Nacional de Rastreio

Projetos concluídos:

Missão S
Educação sexual através da arte no ensino secundário – implementado entre 2011 e 2013 na Escola Pintor José de brito

Ser rapaz é fixe
Implementado na Casa dos Rapazes, durante 2012 – formação a técnicos e monitores e intervenção com os jovens para abordagem da sexualidade e das aproximações abusivas

Filmes produzidos:

Sorrir para a Vida
Por altura da sinalização do Dia Mundial da Luta Contra a Sida, em 2014, o CAPS em parceria com a Filipa Valente produziram o filme que reflete a necessidade das pessoas portadoras de VIH e Sida que integraram o grupo de ajuda mútua do GAF alertarem a comunidade para a força que atualmente possuem para lutarem contra o estigma que persiste contra elas, a qual deriva da união criada nas sessões de encontro!

Cores da Exclusão
Produzido em 2014, pela Filipa Valente para o seu projeto final de curso técnico de Comunicação, Marketing, Relações Públicas e Publicidade na ETAP de Vila Nova de Cerveira. Envolveu a parceria entre o CAPS, a UAT, o Projeto Adições e a Comunidade de Inserção.

DeSida
Em 2009, no âmbito do Projecto PRO-RI - Promover e Reinserir, PRI da Reinserção do CRI de Viana do Castelo, financiado pelo IDT, e do Centro de Atendimento Psicossocial a pessoas infetadas e afetadas pelo VIH/SIDA (CAPS VIH/SIDA), foi solicitada a colaboração da Associação AO-NORTE para a produção de um documentário intitulado DeSida, que incide sobre os discursos diretos de pessoas portadoras de VIH/SIDA, residentes no distrito de Viana do Castelo, sobre os constrangimentos de vida associados à seropositividade e/ou à doença de Sida.

Equipa

• 1 Técnico(a) Superior de Serviço Social

• 1 Psicólogo(a)

Unidade de Apoio na Toxicodependência

O que é?

A Unidade de Apoio na Toxicodependência (UAT) do GAF foi criada no sentido de dar resposta às necessidades dos indivíduos/famílias que estejam ou tenham estado implicados em situações de uso/abuso de substâncias. A intervenção da UAT conflui, assim, no sentido de apoiar e promover o desenvolvimento positivo de indivíduos que usam/abusam de substâncias ou que se encontrem em situação de risco - quer por estarem em período de abstinência, quer pela existência de fatores que possam conduzir a esse uso/abuso.

É implementada uma intervenção genuinamente colaborativa e significativa para o indivíduo. A estratégia de intervenção adotada assenta no estabelecimento de uma relação empática e de proximidade entre o indivíduo/família e a equipa da UAT. Por conseguinte, a vinculação dos indivíduos à valência – baseada na identificação com o serviço prestado e com a filosofia que lhe subjaz, reconhecendo-se o indivíduo como cerne da intervenção – constitui-se como primeiro passo para o desenvolvimento de um trabalho colaborativo e significativo, intensivo e altamente focalizado nas idiossincrasias do indivíduo/família e promotor da transição para níveis de funcionalidade e adaptatividade crescentes.

Objetivos

Apoiar e promover o desenvolvimento positivo de indivíduos e/ou famílias em cujas trajetórias se identificam problemáticas e vulnerabilidades associadas ao consumo de substâncias.

Objectivos específicos

• Aumentar a qualidade de vida e o bem-estar percebido dos indivíduos/famílias;

• Melhorar, de forma imediata e tangível, as condições de vida dos indivíduos/famílias-alvo;

• Reduzir os impactos nocivos produzidos pelas vivências de uso/abuso de substâncias;

• Incrementar competências pessoais e relacionais facilitadoras do desenvolvimento integral e positivo e do funcionamento ajustado e adaptativo do indivíduo e da família;

• Promover a ativação de processos de mudança pessoal e familiar, de adaptação e de mecanismos de resiliência;

• Apoiar a (re)construção e implementação de um projeto de vida diferenciado, realista, adaptativo e funcional, assente na orientação para a mudança de estilo de vida;

• Disseminar conhecimentos específicos e sistematizados de forma a aumentar a consciência social quanto ao que envolve o uso/abuso de substâncias e os fatores de risco a ele associados, numa perspetiva genericamente preventiva.

Intervenção

Estratégia de Intervenção

integrada, fornecendo respostas aos níveis social, psicológico, educativo, jurídico e cultural,

estruturada, no sentido de lidar com diversos tipos de substâncias, de estatuto legal diferente,

adaptada à prevalência dos consumos, privilegiando-se a prevenção terciária (nos casos em que se pode falar de dependência efectiva) e a secundária (nos casos em que o consumo, podendo ou não ser abusivo, acontece em circunstâncias em que a dependência é um risco eminente), e

multidimensional, atendendo aos problemas económicos, sociais, educativos, judiciais, de saúde e laborais da população utente.

Prevenção Secundária

No âmbito da prevenção secundária, o trabalho incide na atenuação da prevalência dos consumos, obstando que a dependência se estabeleça. Ao nível da prevenção terciária, área preponderante da intervenção desenvolvida pela Unidade de Apoio na Toxicodependência, o trabalho pode ser desenvolvido antes (a relação e o pedido de ajuda), durante (desdramatização da ambivalência e motivação) e após o tratamento (inserção social). Genericamente, atenuam-se as consequências das vivências de consumo, promove-se a reabilitação e reinserção social, previne-se a recaída e promove-se ativamente a (re)integração do sujeito na sociedade, facultando-lhe novas oportunidades e contextos.

Serviços Prestados

• Apoio psicológico (consulta psicológica individual e de casal, consultoria psicológica, e intervenção familiar;

• Apoio social e educativo;

• Informação e apoio jurídico;

• Grupos de encontro, de desenvolvimento e de treino de competências;

• Ateliers experienciais e atividades ocupacionais;

• Apoio na procura e manutenção de emprego e de oportunidades de formação escolar e profissional;

• Apoio logístico no âmbito da satisfação das necessidades básicas (balneário, refeitório, rouparia, lavandaria, géneros alimentares, mobiliário).

Equipa

• 1 Psicólogo(a)

• 1 Educador(a) Social

• 2 Monitores(as) de Atelier

Oficinas

Ateliers ocupacionais que visam o desenvolvimento de competências transversais facilitadoras da integração socio-profissional.

Mais informações

WashGAF

Financiada pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional, presta serviços à comunidade de lavagem manual de automóveis e visa a promoção da integração sócio-profissional de desempregados em desfavorecimento face ao mercado de trabalho.

Mais informações